Startup de moda circular e brechó online recebe aporte de R$ 7,5 milhões

Startup de moda circular e brechó online recebe aporte de R$ 7,5 milhões

O Repassa, startup de moda consciente e brechó online, fundado em 2015, acaba de anunciar uma captação de R$ 7,5 milhões liderada pela Redpoint Ventures, referência investimentos venture capital no país, com participação da Bossa Nova Investimentos. Com o aporte, o Repassa projeta crescer 10 vezes nos próximos dois anos, ampliando o ciclo de vida de aproximadamente 70% das roupas que ficam paradas no guarda-roupa das pessoas.

O valor vem sendo aplicado em três principais frentes do Repassa: estruturação do complexo onde funciona a nova sede da empresa – um galpão de 3.200 metros quadrados localizado na Barra Funda e capacidade de 500 funcionários; desenvolvimento de uma nova plataforma de e-commerce que deve melhorar a experiência de compra e a navegabilidade do site, incrementando o volume de vendas em até 30%; além do lançamento do Parceiros do Bem, uma plataforma de soluções e experiências para incluir varejistas de moda no ciclo da economia circular, promovendo impacto social e ambiental. 

O Repassa foi criado com o objetivo de gerar impacto ambiental e social positivos ao aumentar o ciclo de vida das roupas, uma vez que a moda é a segunda indústria mais poluente do mundo, e ao vender uma peça usada, dilui-se 82% desse impacto.

“Uma peça usada é tão útil quanto uma nova, mas até 90% mais barata, muito mais sustentável e exclusiva. Ao aumentarmos o ciclo de vida das roupas das pessoas, também entregamos uma solução de economia circular para marcas de varejo de moda. Dessa forma, conseguimos minimizar esse impacto ambiental, explica Tadeu Almeida, fundador e CEO do Repassa.

Nos últimos três anos, a venda de roupas de segunda mão cresceu 21 vezes mais rápido do que o varejo tradicional de moda, com projeção de alcançar 1,5 vez o tamanho do mercado de fast fashion até 2028.  

Em 2019, o Repassa recebeu 31 mil pedidos e a expectativa é mais do que dobrar esse volume até o final deste ano. Além disso, a empresa estima que a economia para consumidores do brechó deve chegar a R$ 30 milhões até dezembro.  No mesmo período, cerca de R$ 850 mil devem ser destinados às ONGs parceiras por meio do repasse de créditos de roupas vendidas por clientes da plataforma. 

Desde a sua fundação, por meio da ampliação do ciclo de vida da roupas, o brechó já gerou economia de mais de 553 milhões de litros de água e 13 milhões de Kw/h de energia elétrica, além de evitar que 2,4 toneladas de gás carbônico fossem emitidas na atmosfera. 

Fonte: Startupi